Não me acordes 

Não me acordes 
Não quero acordar 
Deixa-me mais um pouco 
Para te poder sonhar.

Nesta noite tardei
Porque ao teu corpo me entreguei? 
Agora já não o sei
Deixai-me ficar
Em sonhos me encontrarei 

Acordei 
Fui buscar um café 
Chiça, que o entornei!
Estarei a sonhar de pé? 

Não me acordes 
Para ir espreitar à janela 
Que desgraça! 
Passou por mim aquela cadela? 

São cinco da tarde
Tanto dormi que adormeci 
E agora resta-me esperar pelas dez 
Pois que assim posso dormir outra vez 
Amanhã termino a história
Mas só a conto mais uma vez.

Filipa Fidalgo, 23 de outubro de 2023

Donde pode nascer o amor? Talvez de uma súbita falha do universo, talvez de um erro, nunca de um ato de vontade.

Marguerite Duras